Você sabia que o preço do carro pode aumentar de 50% a 70% devido a impostos?

A pandemia elevou e muito o preço dos insumos, nossa moeda despencou, e o esforço tem sido gigantesco para que as montadoras não parem de produzir.

O custo de produção de carros novos no Brasil aliado ao aumento excessivo de impostos, está gerando um cenário cada vez mais assustador para o consumidor, que necessita do bem, mas é absurdamente impactado pela alta dos preços.

A nomenclatura carro popular, passou a ser extinta, até porque preço popular no Brasil não existe mais. A briga por seminovos está cada vez mais acirrada, já que é a opção da vez de muitos brasileiros que fogem dos preços altos.

Mas porque os impostos encarecem tanto o preço de um veículo no Brasil?

No estado de SP, a alíquota de ICMS para veículos novos é de 14,5%. 

Os principais impostos diretos são PIS/Cofins (11,6%), ICMS (14,5%) e IPI (11%), mas a base de cálculo deles é diferente. PIS/Cofins são calculados considerando o preço líquido. O ICMS é cobrado sobre o preço líquido e o preço final.

Agora adicione emplacamento e 4% de IPVA. Considerando também impostos embutidos na cadeia produtiva, o valor de um veículo tem aumento significativo.

A pergunta é? Será que esse mercado de carros novos terá uma estabilização ou uma melhora com a normalização de um cenário “pós pandemia”? Será que o consumidor poderá ter um respiro nos valores de carros novos a curto prazo?

Uma observação também muito importante é animar o consumidor que precisa fazer negócio e tem carro na troca. Sim, a troca de veículos ficou mais atrativa, já que o aumento da tabela FIPE também gerou valorização dos veículos. Então os negócios ainda apresentam cenário com possibilidades de o consumidor não perder dinheiro!

E quanto ao cenário de 0KM, vamos continuar observando, pesquisando, e tendo em mente que o mercado de usados acompanha o de carros novos, e se a diminuição do volume de negócios dos próximos meses for muito resistente, os preços tendem a cair para limpar os estoques.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *